terça-feira, 29 de março de 2011

Cruzeiro vence clássico empolgante e consolida liderança folgada do Mineiro

Time celeste assegurou, matematicamente, sua presença nas semifinais do Estadual

Foram 90 minutos dignos de um confronto tradicional de Minas Gerais, que completará 90 anos em 2011. Ao final, com uma atuação segura e melhor pontaria, o Cruzeiro venceu o América de virada, por 3 a 2, e se consolidou como o líder isolado do Campeonato Mineiro, com seis pontos de frente sobre o Coelho, que tem um jogo a menos no torneio.

O triunfo no estádio Dilzon Melo, em Varginha, também valeu aos estrelados a classificação matemática para as semifinais do Estadual. Agora, a briga do time de Cuca será para manter a condição de líder até o final da primeira fase, para levar vantagem nos jogos decisivos.

O time de Mauro Fernandes não foi batido facilmente e pecou apenas nos 15 minutos finais da etapa inicial, quando se encolheu no gramado. No segundo tempo, o jogo foi ainda mais emocionante, com chances diversas de ambos os lados.

O jogo

Os dois lados do duelo entraram em campo com a certeza de que o clássico deste domingo era mesmo decisivo. O Cruzeiro queria manter a liderança da tabela e o América estava determinado a permanecer na briga pelo primeiro lugar da fase de classificação do Campeonato Mineiro 2011, de olho na vantagem de entrar nas semifinais com o direito de jogar por resultados iguais até a grande final do torneio.

A quatro rodadas do fim da primeira fase do Estadual, o embate entre os rivais começou movimentado. Mauro Fernandes mostrou uma escalação com surpresas e um meio campo mais focado na marcação, com três volantes. Leandro Ferreira, que era dúvida, entrou em campo.

Logo na segunda volta do relógio, o Cruzeiro avançou pela esquerda. Gilberto escapou bem pela lateral, chegou à linha de fundo e cruzou. A bola percorreu toda a extensão da área, até que a defesa americana desviou para escanteio.

A resposta alviverde não demorou e foi mais efetiva. Depois de uma cobrança de falta no campo estrelado, num lance bobo de Gilberto, a bola sobrou limpa para Leandro Ferreira, na entrada da área. O volante foi mais rápido que a zaga e bateu forte, sem chances para Fábio: 1 a 0 no estádio Dilzon Melo, em Varginha, aos quatro minutos de jogo.

O jogo era lá e cá. Aos 05, na saída de bola, depois do América mexer no placar, o Cruzeiro teve chance de empatar com Thiago Ribeiro. O atacante escorou uma bola debaixo das traves, mas mandou pra fora. Quatro minutos depois, nova chance americana. Depois da cobrança de um escanteio pela esquerda, a bola ficou passeando pela área estrelada, até que Gil conseguiu dar um chutão e afastar o perigo.

O apetite das duas equipes era proporcional à importância da partida e o jogo era emocionante no Sul de Minas. O Cruzeiro explorava bem o lado direito do gramado e dali surgiam as principais chances, como aos 24 minutos, quando Pablo pegou bem na bola e exigiu reflexo do goleiro Flávio, que segurou firme.

O América passou a jogar num ritmo mais lento, tentando aproveitar os erros celestes. A opção acabou atraindo ainda mais o Cruzeiro, que pressionava bastante e rondava a meta verde e branca. Aos 29 minutos, a Raposa quase marcou. Numa cobrança de falta ensaiada, Roger rolou para Montillo, que bateu forte. Flávio soltou a bola na pequena área, mas a zaga conseguiu afastar antes da chegada de um cruzeirense para nova conclusão.

A insistência azul surtiu efeito ainda no primeiro tempo, fruto do acanhamento do América em seu campo de jogo depois dos 30 minutos. Aos 41, Montillo cruzou uma bola pela direita e encontrou Thiago Ribeiro pronto para o bote. O atacante não perdoou e mandou para as redes: 1 a 1 em Varginha.

Segunda etapa empolgante


O Cruzeiro voltou para a etapa complementar com a mesma formação do primeiro tempo. No América, Mauro Fernandes promoveu uma alteração no ataque: sacou Luciano e colocou Thiago Silvy em campo.

Buscando uma situação ainda mais confortável na tabela, a Raposa logo tomou a iniciativa. No primeiro minuto, Montillo escapou pela direita e cruzou da linha de fundo, mas não encontrou nenhum companheiro para o arrematar dentro da área. O América deu o troco logo depois. Na meia-lua, Fábio Júnior dominou uma bola e serviu Irênio, que bateu para o gol, mas carimbou a zaga.

No início do segundo tempo, o jogo era uma reprise dos primeiros momentos da etapa inicial: franco e muito disputado. Aos quatro minutos, depois de uma bela jogada individual de Roger, a bola sobrou para Leo dentro da área e o zagueiro desviou com facilidade: 2 a 1 e a virada cruzeirense em Varginha. A alegria celeste com o placar durou pouco. Aos 06, Leandro Ferreira, que era dúvida até este domingo e por pouco não ficou fora do clássico, resolveu arriscar de longe e soltou um torpedo pela direita. Fábio nem se mexeu: 2 a 2.

Depois de decretar o empate, o Coelho teve ótima chance para ampliar, aos nove minutos. Thiago Silvy foi lançado e entrou livre no território de Fábio, de frente para o camisa 1, mas desperdiçou uma oportunidade incrível, batendo à esquerda do goleiro.

Logo depois dos 20 minutos, os dois treinadores resolveram mexer nas equipes, ao mesmo tempo. Cuca sacou Roger e Gilberto para as entradas de Wellington Paulista e Everton. Já Mauro Fernandes tirou Irênio do gramado e colocou Netinho no jogo.

Ao contrário da primeira etapa, quando resolveu se encolher depois dos 30 minutos, o América era efetivo no terço final do segundo tempo e, ao lado do Cruzeiro, buscava o gol o tempo todo. O clássico era aguerrido e ambas as equipes tinham chances para desempatar.

Aos 33 minutos, os celestes tiveram duas chances seguidas para marcar. Na primeira, Wallyson invadiu a área e tentou acionar Wellington Paulista, mas a zaga interceptou o lance. Depois, após um cruzamento da direita, Flávio deu um tapa na bola, mas Everton emendou o rebote de bicicleta e quase deixou sua marca nas redes americanas.

Como nos primeiros 45 minutos, a insistência estrelada foi premiada. Aos 39, Wallyson partiu rápido pela direita e cruzou na medida para Montillo escrever 3 a 2 no placar do Dilzon Melo e decretar a festa da torcida azul no Sul de Minas.

América 2 x 3 Cruzeiro

América
Flávio; Marcos Rocha, Otávio, Gabriel Santos e Jean Batista; Dudu (David Ceará), Leandro Ferreira, Nando e Irênio (Netinho); Luciano (Thiago Silvy) e Fábio Júnior.

Cruzeiro
Fábio, Pablo, Gil, Leo e Gilberto (Everton); Marquinhos Paraná, Leandro Guerreiro, Roger (Wellington Paulista) e Montillo; Wallyson e Thiago Ribeiro (Ortigoza).

Técnico: Cuca

Motivo: 8ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Melão, em Varginha
Data: 27 de março de 2011

Gols: Leandro Ferreira, aos 04 minutos, e Thiago Ribeiro, aos 41 minutos do 1º tempo; Leandro Ferreira, aos 04 minutos, Leo, aos 06 minutos, e Montillo, aos 39 minutos do 2º tempo

Árbitro: Émerson de Almeida Ferreira (CBF/FMF)
Assistentes: Helbert Costa Andrade (CBF/FMF) e Pablo Almeida Costa (CBF/FMF)

Cartões amarelos: Gilberto, Gil, Roger e Marquinhos Paraná (Cruzeiro) ; Nando, Jean Batista, Thiago Silvy, Irênio, Leandro Ferreira e Gabriel Santos (América)

Público pagante: 13.152
Renda: R$ 385.850,00

De virada, América-TO vence o Guarani por 2 a 1 e chega à vice-liderança

O América-TO mostrou, mais uma vez, sua força dentro de casa e derrotou o Guarani por 2 a 1, de virada, neste domingo. O time de Teófilo Otoni conseguiu envolver o adversário desde os primeiros minutos de jogo e construiu o placar aproveitando os espaços cedidos pelo Bugre no setor defensivo.

O bom resultado diante de sua torcida levou o Dragão a figurar na vice-liderança do Estadual, ao término da rodada, com 18 pontos.

O América-TO foi surpreendido pelo Bugre aos 35 minutos do primeiro tempo depois do armador Luis Fernando abrir o placar em cobrança de pênalti. Mesmo em desvantagem, o Dragão não se abateu em campo e conseguiu o empate no fim da primeira etapa, aos 47 minutos, em finalização do lateral-esquerdo Bruno Barros.

A virada no placar ocorreu no início do segundo tempo, aos três minutos, com gol marcado pelo atacante Rogélio Ávila. O time alvirrubro conquistou o quinto triunfo em nove rodadas e possui aproveitamento de 66,67%. Já o Guarani está em oitavo lugar com sete pontos.

Em virtude da vitória conquistada sobre o Ipatinga por 2 a 0 na última quinta-feira, no Vale do Aço, em jogo antecipado da nona rodada, o América-TO só voltará a campo no dia 10 de abril, contra o Villa Nova, às 16h, em Teófilo Otoni.

Villa Nova empata com Ipatinga por 2 a 2 e segue sem vencer como mandante


O Villa Nova empatou com o Ipatinga por 2 a 2 neste domingo, em Nova Lima, e segue sem vencer dentro de casa no Campeonato Mineiro. O Leão do Bonfim encontrou dificuldades diante do adversário que segue na luta para deixar a zona do rebaixamento.

Com o domínio inicial da partida, o Villa abriu o placar com o armador Gedeon, aos oito minutos do primeiro tempo, mas não soube tirar vantagem para ampliar o resultado. O time alvirrubro perdeu oportunidades no setor ofensivo e acabou sofrendo o empate aos 41 minutos, gol marcado pelo atacante Alessandro.

Na etapa final, o Leão do Bonfim foi surpreendido no segundo minuto com mais um gol marcado por Alessandro. Com o revés, o Villa partiu para o ataque e deixou o placar novamente em igualdade com o zagueiro Carciano, aos 18 minutos. A virada quase ocorreu no último lance da partida, quando Carciano, mais uma vez no ataque, cabeceou a bola na trave.

Com o resultado, o time alvirrubro subiu para o quinto lugar na tabela com 12 pontos. Já o Tigre segue na lanterna com quatro.

No próximo domingo, o Villa Nova enfrentará a Caldense também no estádio Castor Cifuentes. A vitória é considerada essencial para o Leão seguir na briga pela classificação às semifinais do Mineiro. Já o Ipatinga enfrentará o Uberaba no dia 10 de abril, às 16h, no estádio Ipatingão.

Em casa, Funorte consegue sua primeira vitória no Campeonato Mineiro'2011


O Funorte conseguiu sua primeira vitoria no Campeonato Mineiro ao bater o Tupi, por 1 a 0, neste sábado, no Estádio José Maria Melo, em Montes Claros. Com o resultado, o time do Norte de Minas alcançou cinco pontos na tabela e deixou a zona de rebaixamento. Agora, em 10º lugar, a equipe tem que torcer por uma derrota ou por um empate do Ipatinga contra o Villa Nova, neste domingo, para continuar fora da zona de degola. O Tupi está em quinto lugar, com 12 pontos.

Jogando diante de sua torcida, com a necessidade de vencer de qualquer maneira para escapar do rebaixamento, o Funorte partiu para cima do Galo de Juiz de Fora logo no início da partida, insistindo nas jogadas do veterano atacante Dandão. Assim, aos 21 minutos, a equipe da casa conseguiu marcar o único gol do jogo. Dandão fez uma boa jogada pela esquerda e rolou para meio da área. Quando ia chutar, cara a cara com o goleiro Rodrigo, o lateral Anderson Toto foi calçado por Michel, lateral do Tupi. O arbitro marcou pênalti e expulsou Michel. Dandão cobrou com categoria, deslocando o goleiro: 1 a 0.

Com um homem a mais em campo, o Funorte teve o domínio da partida, chegando várias vezes a frente da meta adversária. Já o Tupi recuou em seu campo. Mesmo assim, articulou várias jogadas no ataque, criadas pelo armador Michel Cury.

Segunda etapa

No segundo tempo, o Funorte diminuiu o ritmo e o jogo ficou muito truncado no meio campo. Aos 32 minutos, após uma entrada dura em um jogador do Tupi, quando o juiz já havia marcado uma irregularidade, o lateral Anderson Toto foi expulso. O técnico do Funorte teve que tirar o atacante Dandão para recompor a defesa com a entrada de Fabricinho. Com a igualdade numérica em campo, a equipe de Juiz de Fora ameaçou partir para o ataque novamente.

No final da partida, as duas equipes desperdiçaram ótimas chances para marcar. Aos 45 minutos, numa falha da defesa do time da casa, a bola sobrou para o atacante Ramon, do Tupi. Mas, na frente do goleiro, ele chutou para fora. Pelo lado do Funorte, Edenilson desperdiçou logo em seguida, ao receber livre na pequena área.

América-TO vence fora de casa e afunda o Ipatinga no Estadual


O Ipatinga ficou em situação delicadíssima na luta para escapar do rebaixamento no Campeonato Mineiro. O Tigre foi derrotado pelo América-TO, por 2 a 0, nesta quinta-feira, no Ipatingão, em jogo antecipado da nona rodada, e caiu provisoriamente para a lanterna. Rogélio Ávila fez os dois gols da equipe de Teófilo Otoni, que chegou a 15 pontos e subiu para o quarto lugar.

Os gols da vitória do América-TO saíram no segundo tempo. Rogélio Ávila abriu o placar, aos 11min, e ampliou aos 37, garantindo o triunfo dos visitantes, que ficaram mais perto de uma vaga entre os quatro primeiros que chegarão às semifinais do Mineiro. Já o Ipatinga, do técnico Guilherme Alves, continua sem triunfos no Estadual e precisa torcer por tropeço do Funorte diante do Tupi.

O Ipatinga volta a jogar neste domingo, quando terá difícil compromisso diante do Villa Nova, em Nova Lima, às 16h. Na mesma data e horário, o América-TO vai encarar o Guarani, no Nassri Mattar, em Teófilo Otoni, para se manter no grupo dos quatro melhores do Estadual.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Nosso Clipe Oficial do Campeonato Mineiro 2011

Esse é o nosso Clipe Oficial do Nosso Blogger ao Campeonato Mineiro 2011, Vote na nossa enquete e no You Tube se você gostou ou não gostou e dê sugestões no nosso e-mail campmineiro@gmail.com, Obrigado Internautas!

Atlético volta a jogar mal e não passa do empate com o Uberaba

Alvinegro sai na frente, mas sofre com sina de levar gol em todos os jogos na temporada e fica no 1 a 1 com o Zebu, pelo Campeonato Mineiro


O técnico Dorival Júnior queria um bom desempenho para apagar as más atuações do time nas rodadas anteriores. Mas o Atlético voltou a apresentar limitações e apenas empatou com o Uberaba, por 1 a 1, nesta quarta-feira à noite, na Arena do Jacaré, pela oitava rodada do Campeonato Mineiro. O Galo abriu o placar, com o contestado Ricardo Bueno, mas continua sofrendo com a sina de levar gol em todos os jogos da temporada.

Com o resultado, o Alvinegro foi a 17 pontos, ficando a dois do líder Cruzeiro, que pega no domingo o América, terceiro colocado com 16 pontos. O Uberaba soma sete pontos, na nova posição.

Agora, o Atlético só volta a campo na quinta-feira da semana que vem, quando enfrenta o Grêmio Prudente na partida de ida da segunda fase da Copa do Brasil, em Presidente Prudente. Se vencer por mais de um gol de diferença, a equipe mineira elimina o jogo de volta. Pelo Estadual, o Galo só volta a campo no dia 3 de abril, contra o Democrata em Valadares.

Dificuldades para furar o bloqueio

O Atlético entrou em campo com novidades e improvisações nas laterais. Na direita, o técnico Dorival Júnior escalou o meia Bernard, promovido das categorias de base. Na esquerda, o volante Richarlyson foi a nova tentativa.

Com a bola rolando, o Galo teve dificuldades para criar jogadas. Pela frente, um Uberaba recuado, bloqueando a entrada da área e que levou perigo apenas aos nove minutos, numa bola cruzada por Maurinho, que Renan Ribeiro mandou a escanteio.

Mesmo com os obstáculos, o Atlético teve chances. As três primeiras com Ricardinho. Aos 17 minutos, ele cobrou falta com perigo. Aos 23, bateu de primeira da entrada da área e assustou o goleiro Fernando. No minuto seguinte, depois da boa troca de bola, Ricardinho mandou a bomba e Fernando fez grande defesa.

Aos 32 minutos, o Galo desperdiçou a melhor oportunidade da etapa. Jóbson achou Renan Oliveira livre na área. Porém, a finalização do armador foi fraca, facilitando a defesa do goleiro.

Limitações para criar jogadas

O Atlético voltou com o meia Mancini na vaga do volante Toró. O Uberaba quase abriu o placar, aos dois minutos, depois que Rômulo roubou a bola de Réver e exigiu a intervenção do goleiro Renan Ribeiro. Mas foi o Galo que abriu o placar, com Ricardo Bueno, completando de cabeça o cruzamento, aos quatro minutos.

Em outra bobeada atleticana, o Uberaba chegou ao empate. Na troca de passes, Bruno Campos, depois de exigir grande defesa de Renan Ribeiro, pegou o rebote e mandou para as redes: 1 a 1.

Aos 12, o Atlético quase marcou novamente. O zagueiro Réver cabeceou no travessão. No minuto seguinte, Mancini se machucou e teve de ser substituído. Dorival Júnior aproveitou e fez as duas últimas alterações na equipe. Neto Berola entrou no lugar de Mancini e Magno Alves na vaga de Jóbson. Pouco mudou. As limitações ofensivas foram as maiores barreiras do Galo.

O Uberaba também lamentou uma bola na trave, com Marcinho, aos 28 minutos. Nos minutos finais, o Atlético lutou para alcançar a vitória, mas, sem inspiração, insistiu em bolas alçadas na área e não obteve sucesso. O time saiu de campo vaiado.

ATLÉTICO 1 X 1 UBERABA

ATLÉTICO
Renan Ribeiro; Bernard, Réver, Leonardo Silva; Richarlyson; Toró (Mancini, intervalo, depois Neto Berola, 14min 2ºT), Serginho, Ricardinho, Renan Oliveira; Jóbson (Magno Alves, 14min 2ºT) e Ricardo Bueno. Técnico: Dorival Júnior

UBERABA
Fernando; Rodrigão, Felipe (Alemão, 18min 2ºT, depois Hugo, 22min 2ºT) e Ricardo; Maurinho, Balduíno, Gabriel, Cristiano Brasília e Bruno Campos; Rômulo (Juninho Cearense, 31min 2º) e Marcinho.

Motivo: 8ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data e hora: 23 de março de 2011

Gols: Ricardo Bueno, 4min 2ºT; Bruno Campos, 9min 2ºT

Árbitro: Igor Junio Benevenuto
Assistentes: Marcus Vinícius Gomes e Janette Mara Arcanjo

Cartões amarelos: Leonardo Silva (ATL) Ricardo, Felipe, Marcinho, Balduíno (UBE)

Pagantes: 4.263
Renda: R$ 20.375,00

segunda-feira, 21 de março de 2011

Cruzeiro joga em ritmo lento, mas derrota Funorte e abre vantagem na liderança

Vitória por 3 a 0 coloca Cruzeiro bem próximo da semifinal do Campeonato Mineiro


O Cruzeiro jogou em ritmo de treino diante do Funorte, neste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, mas não encontrou dificuldades para derrotar o lanterna do Campeonato Mineiro por 3 a 0, com gols de Wellington Paulista, de pênalti, e Thiago Ribeiro (2).

Com o triunfo na sétima rodada do Estadual, o Cruzeiro chegou aos 19 pontos e abriu três de vantagem sobre o rival América, derrotado por 3 a 1 para o América-TO na sexta-feira à noite. O resultado praticamente assegurou a equipe cruzeirense nas semifinais.

No próximo domingo, em Varginha, no Sul de Minas, o Cruzeiro enfrentará justamente o América, segundo colocado, e poderá sacramentar a sua passagem à próxima fase do Estadual.

Por sua vez, o Funorte passa a ter quatro jogos para tentar escapar do rebaixamento ao Módulo II em 2012. A equipe de Montes Claros somou apenas dois pontos em sete apresentações na elite.

Gol de presente


O Cruzeiro não teve um primeiro tempo inspirado diante de um Funorte que se defendeu como pôde para evitar uma goleada. Por mais que tenha controlado a partida todo o tempo, o time celeste teve raras oportunidades de gol, como aos seis, quando Thiago Ribeiro desviou a bola de cabeça na trave direita do goleiro Rafael.

O gol cruzeirense saiu de pênalti, aos 37 minutos, depois de uma falta infantil do experiente zagueiro Wellington Paulo sobre o atacante Wellington Paulista na grande área. O centroavante cobrou no canto direito e colocou os celestes em vantagem no placar: 1 a 0.

Melhora no futebol e no placar


O Cruzeiro voltou mais solto com Everton no lugar de Henrique e a superioridade ficou ainda mais evidente. Depois de grande chance com Thiago Ribeiro, aos cinco, o segundo saiu aos dez. Wallyson recebeu de Dudu, fez a assistência d e Thiago, com a meta aberta, apenas completou: Cruzeiro 2 a 0.

Apesar da vantagem, o Cruzeiro seguiu pressionando e com várias chances de ampliar. Aos 20 minutos, Wallyson pisou em falso, torceu o tornozelo esquerdo e acabou substituído por André Dias.

No Funorte, Dandão entrou no posto de Edenilson, que pouco fez.

Aos 29, o zagueiro Leo perdeu grande chance de ampliar após cruzamento perfeito de Gilberto. O cabeceio tocou na rede pelo lado de fora e enganou muitos torcedores, dando a impressão de gol.

Na sequência, Farías substituiu Wellington Paulista, novamente sem brilho.

O Funorte só assustou em chute de Dandão, aos 33 minutos.

No fim, o Cruzeiro se acomodou. O terceiro gol saiu aos 48 minutos graças a uma jogada individual de Dudu pela direita. Ele cruzou e o zagueiro cortou na trave. Na sobra, Thiago Ribeiro ficou livre para marcar pela segunda vez: 3 a 0. (UAI)

Cruzeiro 3 x 0 Funorte

Cruzeiro

Fábio; Pablo, Gil, Leo e Gilberto; Leandro Guerreiro, Henrique (Everton, intervalo) e Dudu; Wallyson (André Dias, 20min2ºT), Wellington Paulista (Farías, 30min2ºT) e Thiago Ribeiro.
Técnico Cuca.

Funorte

Rafael Barrios, Anderson Toto, Vinícius, Wellington Paulo e Cristiano (Fabrício, 9min2ºT); Binho, Marcelino, Diego Paulista e Ualisson Mineiro; Stanley (Caio, 32min 1ºT) e Edenílson (Dandão, 23min2ºT).
Técnico: Luiz Eduardo.

Motivo: 7ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data: 19 de março, sábado, às 16h (de Brasília)

Gols:
Wellington Paulista (Cruzeiro), 38min 1ºT, de pênalti
Thiago Ribeiro (Cruzeiro), 10min 2ºT
Thiago Ribeiro (Cruzeiro), 48min 2ºT

Cartão amarelo:
Wellington Paulista (Cruzeiro), 24min 1ºT
Stanley (Funorte), 30min 1ºT
Leandro Guerreiro (Cruzeiro), 1min 2ºT
Edenilson (Funorte), 5min 2ºT

Árbitro: Átila Carneiro Magalhães (CBF/FMF)
Auxiliares: Marcus Vinícius Gomes (CBF/FMF) e Mauro Antônio Ferreira Santos (FMF)

Pagantes: 3.641
Presentes: 5.006
Renda: 46.062,50

Com virada nos minutos finais, Atlético faz 2 a 1 no Villa e assume a vice-liderança


Depois de um primeiro tempo apático, o Atlético reagiu na etapa final e venceu o Villa Nova, de virada, por 2 a 1, neste domingo à tarde, na Arena do Jacaré, pelo Campeonato Mineiro. O primeiro gol do Galo foi marcado pelo questionado Ricardo Bueno. Já o segundo saiu aos 47 minutos do segundo tempo. O gol do Villa foi marcado por Palermo, no etapa inicial. Com a vitória, o Atlético subiu para segunda colocação, com 16 pontos, três a menos que o Cruzeiro, que tem um jogo a mais. O Villa Nova caiu para a sexta posição, com 11 pontos.

Saída de bola fatal

Insatisfeito com as últimas atuações, o técnico Dorival Júnior mudou a cara do Atlético para encarar o Villa. E, pelo desempenho apresentado, principalmente no primeiro tempo, vai ter muito trabalho para remontar o time. O futebol deixou a desejar em todos os setores.

O meio-campo, lento, foi nulo na criação. Como a bola não chegou, o ataque praticamente não incomodou o goleiro Vagner. O individualismo também atrapalhou a sequência das jogadas.

O Galo marcou mal, deu espaços nas laterais e bobeadas na zaga. Numa delas, o Villa Nova abriu o placar, aos 10 minutos. Lento na recomposição defensiva, o Atlético viu o goleiro Vagner armar o contra-ataque na saída de bola. Palermo, com dois toques, abriu o placar, tocando no canto de Renan Ribeiro.

Por muito pouco, o Galo não sofreu o segundo gol, aos 34 minutos. Em outra bobeada da zaga, Marinho recebeu livre, avançou e, frente a frente com Renan Ribeiro, chutou para a defesa salvadora do goleiro.

No melhor lance do Atlético, a bola sobrou na área para Ricardo Bueno. O atacante, que tinha vários companheiros livres na boca do gol, isolou a bola. A torcida não perdoou.

Efeito Guilherme

Dorival Júnior fez mudanças que surtiram efeito no segundo tempo, com as entradas de Mancini, Neto Berola e Magno Alves.

O questionado Ricardo Bueno, que vem sendo o escolhido de Dorival para substituir Diego Tardelli, vendido ao Anzhi-RUS, foi o autor do gol de empate do Galo, aos 18 minutos. O curioso é que o gol saiu 20 minutos depois do presidente Alexandre Kalil anunciar o novo atacante do time: Guilherme, ex-Cruzeiro, que estava no Dínamo de Kiev.

Na sequência da partida, as duas equipes tiveram chances, mas o gol da virada alvinegra só saiu aos 47 minutos do segundo tempo. Magno Alves fez a jogada pela esquerda. No bate-rebate, a bola bateu no zagueiro e morreu nas redes. Final: 2 a 1.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 2 X 1 VILLA NOVA


ATLÉTICO
Renan Ribeiro; Jackson, Réver, Leonardo Silva e Eron (Mancini, 15min 2ºT); Toró, Richarlyson, Renan Oliveira e Wesley (Neto Berola, intervalo); Jóbson (Magno Alves, 26min 2ºT) e Ricardo Bueno. Técnico: Dorival Júnior

VILLA NOVA
Vagner; Alex Santos, Bruno Lourenço, Carciano e Raniery; Anderson Uchoa, Ricardo Bóvio (Marquinhos, 39min 2ºT), Gedeon (Felipe, 30min 2ºT) e Palermo; Marinho (Edmilson, 31min 2ºT) e Allan. Técnico: Wilson Gottardo

Motivo: 7ª rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data: 20 de março de 2011

Gols: Palermo, 10min do 1ºT; Ricardo Bueno, 18min do 2º, e Anderson Uchoa (contra, 47min 2ºT)

Árbitro: Renato Cardoso Conceição
Assistentes: Jair Albano Félix e Pablo Almeida Costa

Cartões amarelos: Gedeon, Marinho, Anderson Uchoa, Carciano, Palermo (VIL); Toró (ATL)
Cartão vermelho: Jackson (ATL)

Público: 9.745 pagantes (10.245 presentes)
Renda: R$ 47.847,00

Dragão derruba o último invicto

No duelos entre os xarás, América de Teófilo Otoni bate o da capital e se consolida na briga pela vaga


Sete Lagoas – O pequeno público ontem na Arena do Jacaré não imaginava noite tão infeliz do América, até então o único invicto do Campeonato Mineiro, que, em sua pior atuação na temporada, acabou derrotado por 3 a 1 pelo xará de Teófilo Otoni, com uma aula de futebol dos visitantes. O Coelho perdeu ainda a chance de reassumir a ponta e corre o risco de ver escapar o segundo lugar, se o Atlético vencer amanhã o Villa Nova, também em Sete Lagoas. Já o Dragão, em seu segundo ano na elite, tirou provisoriamente a quarta posição do Leão.

Ao contrário dos últimos jogos, o América saiu em desvantagem, mas não conseguiu virar. Já havia mudado resultados adversos contra Ipatinga (4 a 1), Atlético (2 a 1) e Guarani (4 a 2). Era uma vez uma invencibilidade de mais de quatro meses – o último revés fora em 9 de novembro, para o Bahia (1 a 0), pela Série B do Brasileiro.

O Coelho tentará se reabilitar no clássico com o Cruzeiro, dia 27, em Varginha, mas não terá Micão, expulso infantilmente ontem. Pelo menos, o técnico Mauro Fernandes terá a volta do também zagueiro Gabriel Santos e do volante Leandro Ferreira. De positivo na noite ruim de ontem, restou mais um gol de Fábio Júnior, artilheiro do Estadual, agora com 11.

Espetáculo à parte, a diminuta torcida do Dragão esbanjou animação a cada jogada de velocidade da equipe. Confiante na classificação inédita às semifinais, a maioria viajou cerca de sete horas. “Se a partida fosse em nossa cidade, certamente o estádio estaria cheio. Todos são muito apaixonados por futebol”, disse o motorista Fábio Solporo, de 37 anos, presente a todos os jogos da equipe no Estadual.

Habituados à boa fase, os torcedores do Coelho perderam a paciência logo no início. À beira do gramado, Mauro Fernandes gritava e tentava corrigir o posicionamento, mas os jogadores não conseguiram atendê-lo. Do outro lado, Gilmar Estevam, com a mesma tranquilidade dos tempos de jogador, era atendido plenamente por seus comandados.

Drama
Se o América tivesse aproveitado a metade das chances que criou, o placar poderia ser outro. Mas desperdiçou pelo menos cinco, viu o adversário perder a timidez e partir ao ataque até com os zagueiros. Um dos melhores em campo, Jádson, autor do solitário gol da etapa inicial, após confusão na área, vive momento difícil. A mãe está internada em estado grave no Rio, com aneurisma cerebral. Ainda assim, ele foi um guerreiro em campo. “É um drama em minha vida. Esse gol foi para ela, que, mesmo doente, está torcendo por mim”, disse, quase às lágrimas.

No segundo tempo, mais organizado com a entrada de Netinho, o anfitrião empatou com Fábio Júnior, completando passe da direita de Thiago Silvy. A alegria, porém, só durou cinco minutos. Jônatas Obina aproveitou falha de Micão e fulminou Flávio. Em seguida, de pênalti, cometido pelo desastrado zagueiro, sacramentou o importante triunfo alvirrubro.

Funorte quer mudar postura em campo para evitar rebaixamento ao Módulo II

Os jogadores do Funorte já esqueceram a goleada sofrida pelo Cruzeiro (3 a 0), no fim de semana, e esperam conquistar a primeira vitória no Campeonato Mineiro contra o Tupi, no próximo sábado, às 16h, no estádio José Maria Melo, em Montes Claros.

Na lanterna da competição com apenas dois pontos em sete rodadas, o Formigão terá que conquistar vitórias nas quatro últimas rodadas para tentar escapar do rebaixamento ao Módulo II.

O técnico Luiz Eduardo cobrou atitude do elenco para conseguir reverter a má campanha realizada no Estadual. “São 12 pontos em jogo e se conseguirmos duas vitórias e, dependendo dos tropeços de alguns times, poderemos escapar do rebaixamento”, disse ao site do clube.

Após o confronto contra o Tupi, o Funorte enfrentará Uberaba e Guarani, fora de casa, e Democrata-GV, em Montes Claros.

Caldense e Tupi vencem na rodada; Democrata e Uberaba ficam no empate

Além da vitória do Atlético sobre o Villa Nova, por 2 a 1, na Arena do Jacaré, outros três jogos fecharam a sétima rodada do Campeonato Mineiro neste domingo. A Caldense venceu o Ipatinga, por 2 a 0, em Poços de Caldas. O Tupi bateu o Guarani, também por 2 a 0, fora de casa. Já Democrata e Uberaba empataram, por 2 a 2, em Governador Valadares.

Em Poços de Caldas, a Caldense derrotou o Ipatinga com gol de Jardel, aos 42min do primeiro tempo, e de Luisinho, aos 13min da etapa final. Com o resultado, a Veterana ficou na sétima posição, com 10 pontos, e praticamente afasta o risco de rebaixamento. O Tigre continua na penúltima colocação, com apenas três pontos.

Em Divinópolis, o Tupi venceu com gol dois gols no segundo tempo. Michel Cury e Ramon marcaram para o Galo Carijó, que luta pela quarta vaga do G-4. O time de Juiz de For a está na quinta colocação e encostou no América-TO, com 12 pontos. O Bugre, por sua vez, segue com campanha irregular, na oitava posição, com sete pontos.

No empate entre Democrata e Uberaba, por 2 a 2, em Governado Valadares, todos os gols saíram no primeiro tempo. A Pantera abriu o placar com Fernandão, aos 24min, mas Cristiano Brasília empatou para o Zebu minutos depois. Depois, Marcinho ampliou para o Uberaba, aos 33, no entanto, Vander salvou o Democrata da derrota em casa, aos 43. O time do Triângulo Mineiro tem seis pontos e está na nona posição. Já a equipe de Valadares tem quatro pontos, e segue sem vencer no campeonato, na décima colocação.

domingo, 13 de março de 2011

Cruzeiro massacra o Democrata-GV e assume liderança do Mineiro: 7 a 0

No embalo de Thiago Ribeiro, time celeste rouba a ponta do América e começa a semana na liderança do Estadual


Numa semana decisiva, em que pode chancelar sua classificação à próxima fase da Libertadores da América, o Cruzeiro tratou de assegurar também uma boa condição no Campeonato Mineiro e goleou o Democrata-GV por 7 a 0, na Arena do Jacaré, assumindo a liderança do Estadual.

Numa tarde inspirada, os 11 de Cuca fizeram valer a ampla supremacia técnica sobre a Pantera e tiraram a ponta da tabela do América, que tem os mesmos 16 pontos, mas quatro gols a menos de saldo.

Com uma atuação segura, a Raposa resolveu o jogo logo no primeiro tempo, quando marcou cinco vezes, três delas com Thiago Ribeiro, o protagonista do duelo. Farías, Emerson (contra), Ortigoza e André Dias fecharam a conta do massacre.

Mão cheia na primeira etapa

O Cruzeiro entrou em campo com a missão de tentar roubar a ponta do Campeonato Mineiro do América. Antes do início da rodada deste fim de semana, as duas equipes tinham a mesma pontuação e o Coelho detinha a liderança por conta do saldo de gols. A vitória dos alviverdes sobre o Guarani, no sábado, aumentou a responsabilidade dos estrelados, que não queriam ver o time de Mauro Fernandes abrir vantagem na tabela.

Com desfalques importantes na criação, já que não contava com Gilberto, Montillo e Roger, Cuca apostou tudo no ataque e escalou três homens de frente: Thiago Ribeiro, Walllyson e Farías. A escolha logo se mostrou acertada. Aos dois minutos, Henrique iniciou a jogada com um belo lançamento e, depois de uma bola cruzada da esquerda, Wallyson fez um corta-luz deixando Thiago Ribeiro em ótima condição para emendar, no canto direito de Ricardo Vilar: 1 a 0

A Pantera quase não dava trabalho à defesa estrelada e aproveitava os erros celestes para tentar encaixar um contragolpe. Aos 13 minutos, a primeira chance efetiva do Democrata-GV: depois da cobrança de um escanteio pela esquerda, Fábio saiu mal do gol e a bola sobrou para Lúcio, que arrematou muito mal, quase dentro da pequena área.

O Cruzeiro era só ataque e a defesa do Democrata-GV estava muito mal na partida. Aos 17, Dudu cruzou rasteiro da direita e Emerson quase marcou contra a própria rede, ao tentar afastar a bola. Dois minutos depois, a pressão azul surtiu efeito: Renê fez uma lambança no meio campo e deu uma bola de presente para Thiago Ribeiro. O atacante escapou bem, driblou o goleiro e tocou fácil para o gol: 2 a 0

A equipe de Cuca criava chances seguidas de ampliar o placar e chegava a ser displicente nas conclusões. Aos 28, Thiago Ribeiro, muito bem na partida, fez um carnaval pela esquerda do gramado e cruzou no segundo pau. Wallyson chegou bem para o arremate, mas a bola explodiu no travessão de Ricardo Vilar.

As oportunidades brotavam no gramado da Arena do Jacaré e o Democrata-GV reiterava a fragilidade de sua defesa, uma das piores do Estadual 2011. Aos 31, o placar foi alterado mais uma vez a favor dos celestes. Wallyson tramou bem pela direita e cruzou para a área. Farías emendou um chute que saiu mascado, mas encontrou Thiago Ribeiro em ótima condição. O atacante não perdoou e deixou seu terceiro gol nas redes de Vilar: 3 a 0.

No primeiro tempo de um time só, a Raposa ainda teve tempo de fazer mais dois gols antes do apito de Renato Cardoso Conceição encerrar a etapa inicial. Aos 39, Everton bateu de fora da área e Emerson marcou contra ao tentar desviar a bola: 4 a 0. Dois minutos depois, nova festa nas arquibancadas da Arena do Jacaré: Thiago Ribeiro cruzou da esquerda, na medida para Farías desviar de cabeça: 5 a 0.

Ritmo mais lento

As duas equipes voltaram para a segunda etapa com as mesmas formações e o panorama do jogo também era o mesmo: o Cruzeiro em cima, pressionando, e o Democrata-GV muito mal, pecando muito na defesa.

Com o dilatado placar construído no primeiro tempo, a Raposa seguia no ataque, mas era mais displicente nas finalizações. A Pantera só conseguia agir quando o Cruzeiro errava, como aos 10 minutos, quando Fernandão aproveitou uma falha de Gil para girar e bater de frente para Fábio, desperdiçando uma chance incrível para diminuir o vexame.

Aos 18 minutos, Cuca fez o que já se esperava: promoveu a estreia do atacante paraguaio Ortigoza com a camisa azul, ao sacar Wallyson da equipe. No Democrata-GV, José Maria Pena já tinha mexido duas vezes no time, ao tirar Ernane e Renê do gramado para dar lugar a Márcio Duarte e Vinícius Alves.

Os celestes continuavam como senhores absolutos do jogo, mas o ritmo já não era o mesmo dos primeiros 45 minutos. Aos 22, o estreante do domingo resolveu deixar sua marca na goleada. Ortigoza ficou com um rebote dentro da área e, com muita tranquilidade, girou antes de tocar por cobertura e vencer Ricardo Vilar: 6 a 0.

Com o duelo já liquidado e a liderança do Mineiro assegurada, Cuca resolveu mexer mais duas vezes no time. Marquinhos Paraná e Farías saíram para as entradas de Leandro Guerreiro e André Dias.

O Cruzeiro passeava em campo e o ritmo já era de um ‘treino de luxo’ aos 30 minutos do segundo tempo. Aos 34, o golpe de misericórdia na Pantera saiu dos pés de André Dias. Ele recebeu um bom passe e bateu com categoria, de fora da área, no ângulo direito de Vilar: 7 a 0.

A vitória, além da liderança, valeu ao Cruzeiro a maior goleada do Campeonato Mineiro 2011 até agora.

Cruzeiro 7 x 0 Democrata-GV

Cruzeiro
Fábio, Pablo, Gil, Victorino e Everton; Marquinhos Paraná (Leandro Guerreiro), Henrique e Dudu; Wallyson (Ortigoza), Thiago Ribeiro e Farías (André Dias).
Técnico: Cuca

Democrata-GV
Vilar, Juninho, Lúcio, Sílvio e Cláudio; Emerson, Taércio, Renê (Vinícius Alves) e Ernane (Márcio Duarte); Ely Thadeu e Fernandão.
Técnico: José Maria Pena

Motivo: Sexta rodada do Campeonato Mineiro
Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas
Data: Domingo, 13 de março.

Gols: Thiago Ribeiro, aos 02, 19 e 31 min, Emerson (Contra) aos 39 min e Farías, aos 41 min do 1º tempo ; Ortigoza, aos 22 min, e André Dias, aos 34 min do 2º tempo

Árbitro: Renato Cardoso Conceição (CBF/FMF)
Assistentes: Helbert Costa Andrade (CBF/FMF) e Ricardo Junio de Souza (FMF)

Cartões amarelos: Victorino (Cruzeiro) ; Sílvio e Ely Thadeu (Democrata-GV)

Público pagante: 1.217
Renda: R$ 19.587,50

Atlético sente ausência de Tardelli, reage no segundo tempo e empata com Ipatinga

Time alvinegro teve atuação distinta nos dois tempos e ficou no 2 a 2 no Ipatingão

No primeiro jogo depois da saída de Diego Tardelli, vendido para o Anzhi, da Rússia, o Atlético deu sinais de que sentirá e muito a falta do artilheiro. Com atuação distinta nos dois tempos, o Galo ficou no empate com o Ipatinga, por 2 a 2, neste domingo, em confronto movimentado no Estádio Ipatingão, pelo Campeonato Mineiro. O Tigre saiu na frente com Alessandro, Neto Berola igualou, Thiago Santos fez 2 a 1 para o time da casa, mas o Alvinegro voltou a marcar, com Renan Oliveira, e definiu o placar.

Sem Diego Tardelli, Dorival Júnior escalou Neto Berola e Ricardo Bueno como titulares. Mas a dupla não conseguiu jogar, criou poucas oportunidades e foi desfeita no intervalo, quando o Galo voltou ainda mais ofensivo, com Jóbson e Wesley, mudou a postura e até criou oportunidades para virar o placar. Entretanto, na soma dos dois tempos o placar foi justo, já que o Ipatinga teve atuação melhor na etapa inicial.

Com o empate o Atlético se manteve na terceira posição, com 13 pontos, e ficou mais distante de Cruzeiro, líder com 16, e América, segundo, com desvantagem no saldo de gols. O time celeste, porém, tem um jogo ao mais que os rivais. Na próxima rodada, o Galo voltará à Arena do Jacaré para enfrentar o Villa Nova, domingo que vem. Já o Ipatinga, que ainda não perdeu sob o comando do técnico Guilherme Alves, ídolo da torcida atleticana, somou três pontos e deixou a zona de rebaixamento. O Tigre terá como adversário a Caldense, em Poços de Caldas, também no domingo.

O jogo

O Atlético pouco fez no primeiro tempo. A aposta do técnico Dorival Júnior na nova dupla de ataque, com Neto Berola e Ricardo Bueno, não deu certo. Atuando distantes, sem qualquer inspiração, eles foram presas fáceis para a defesa do Tigre. E o Ipatinga, bem ao estilo de Guilherme, o tempo todo à beira do campo gritando com os jogadores, entrou disposto a não deixar o Galo jogar. Marcou forte na saída de bola, impedindo que Ricardinho acionasse rapidamente os atletas de frente.

Com isso, o Atlético teve muita dificuldade. Principalmente na saída de bola da defesa para o ataque. Ricardinho e Renan Oliveira eram antagônicos. O primeiro, lento, não encontrava espaço para dominar e organizar as jogadas. O segundo, ao contrário, procurava subir em velocidade, mas sempre errava passes ou perdia a bola. Na frente, Ricardo Bueno, confuso e afobado, não conseguia fugir dos zagueiros. E Neto Berola, apático, também não apareceu.

O Ipatinga encarou o Atlético e o jogo ficou até aberto em alguns momentos. Mas as defesas eram soberanas. Do lado do Tigre, Alessandro era o jogador mais contundente e quem mais dava trabalho aos alvinegros. E foi dele a primeira chance, aos 19, quando ele recebeu de Luizinho e chutou à direita de Renan Ribeiro. Logo depois, o Galo foi obrigado a mexer. Zé Luís sentiu um desconforto e deixou o campo para a entrada de Toró.

A partir daí o Ipatinga cresceu, enquanto o Atlético se perdeu de vez, principalmente na marcação. Alessandro desperdiçou a melhor oportunidade, quando recebeu sozinho e, de frente para a meta alvinegra, isolou a bola. O Tigre aproveitou para atacar e acabou premiado com o gol, aos 38min. Léo Medeiros arriscou de fora da área, Renan Ribeiro falhou ao dar rebote e Alessandro aproveitou: 1 a 0.

Os últimos minutos do primeiro tempo foram lamentáveis para o Atlético, que, desorganizado, levou pressão e poderá até ter sofrido o segundo gol. Thiago Santos invadiu a área, limpou o lance e desperdiçou a chance de ampliar para o Ipatinga. Na saída para o intervalo, o capitão Réver resumiu a atuação do Galo. “Não conseguimos reter a bola, precisamos segurá-la mais”, recomendou.

Postura diferente e gols

O Atlético voltou a campo com mudanças na equipe e também na postura. Grande aposta de Dorival Júnior, Ricardo Bueno só durou o primeiro tempo. Ele foi sacado para a entrada de Wesley. Já o lateral-esquerdo Leandro deixou a partida para a entrada de Jóbson. Assim, Richarlyson foi deslocado para a esquerda e Wesley tinha a dupla função de atacar e também recompor o meio-campo. E Jóbson mostrou a que veio logo no primeiro minuto. Ele procurou a tabela e a bola sobrou para Neto Berola chutar forte e empatar: 1 a 1.

O Atlético, animado, partiu para cima e passou a dar trabalho ao Ipatinga. Mas uma falha na saída de bola, pela esquerda, resultou no segundo gol do Tigre. Ricardo Antônio foi esperto e cruzou para conclusão de Thiago Santos, aos 4min, recolocando os donos da casa na frente. O Galo tentou dar o troco com Wesley, que recebeu em boa condição e, de perna direita, chutou para a defesa salvadora de Raniere. Guilherme pediu mais atenção na marcação, prevendo que o time alvinegro viria com tudo em busca da reação.

O jogo voltou a ficar com muita ‘pegada’ no meio-campo, com o Ipatinga cuidando mais do combate e buscando escapar em velocidade para surpreender a defesa. O Atlético foi na base da luta para ao menos empatar, cedeu espaços e correu riscos. Mas conseguiu o empate aos 32min, depois de bela jogada de Jóbson que resultou em escanteio. Na cobrança, Ricardinho mandou para a área, Réver dominou e tocou de calcanhar para Renan Oliveira, livre, driblar o goleiro e deixar a marca: 2 a 2. A virada quase veio com Wesley, que soltou a bomba e acertou o travessão Jóbson e Réver também quase marcaram. Apesar de a vitória não sair, valeu pelo segundo tempo da equipe alvinegra.

IPATINGA 2 X 2 ATLÉTICO

Ipatinga
Raniere; Luizinho, Eron (Vagner), Max e Marinho Donizete; Leanderson, Rodrigo Antônio, Leandro Brasília (Elder) e Léo Medeiros; Alessandro e Thiago Santos (William Júnior)
Técnico: Guilherme Alves

Atlético
Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Werley e Leandro (Jóbson); Zé Luís (Toró), Richarlyson, Ricardinho e Renan Oliveira; Neto Berola e Ricardo Bueno (Wesley)
Técnico: Dorival Júnior

Motivo: sexta rodada do Campeonato Mineiro
Local: Estádio Ipatingão
Data: domingo, 13/03
Gols: Alessandro, 38min, 1ºT; Neto Berola, 1min, Thiago Santos, 4min, Renan Oliveira, 32min do 2ºT
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Celso Luiz da Silva
Cartão amarelo: Neto Berola, Richarlyson, Serginho, Ricardinho, Réver (Atlético); Alessandro, Max, Eron, Rodrigo Antônio, Marinho Donizete, Elder (Ipatinga)

Marcos Rocha comemora virada e sonha com título invicto do Campeonato Mineiro

Cinco vitórias e um empate, vice-liderança, invencibilidade e artilharia da competição. Neste sábado, a vítima foi o Guarani, em Divinópolis, em virada americana por 4 a 2, depois de estar perdendo por 2 a 0.

Os bons resultados na competição credenciam o América a ser favorito ao título mineiro. Mais do que isso, o lateral Marcos Rocha quer ver o Coelho campeão invicto, embora saiba das dificuldades do campeonato.

”A gente sabe que agora somos o alvo do campeonato, mas vamos continuar trabalhando para vencer sempre. A gente sabe que a derrota acontece, mas estamos querendo adiar esta derrota aí para quem sabe a gente conseguir este campeonato invicto”, disse Marcos Rocha.

“Temos que parabenizar o grupo, por conseguir reverter este placar de 2 a 0, que é difícil, e dar mais um passo rumo ao nosso objetivo, que é terminar essa primeira fase na liderança do Campeonato Mineiro. O que foi traçado para este fim de semana foi cumprido”, completou o jogador.

Villa Nova quebra tabu de 26 anos e vence o Uberaba por 1 a 0 no Triângulo Mineiro

Para se manter vivo na briga por uma vaga no G-4 do Mineiro, o Villa Nova aproveitou o momento ruim vivido pelo Uberaba na competição e quebrou um tabu de 26 anos sem vitória sobre o Zebu no Uberabão, depois de vencer o adversário por 1 a 0 neste domingo.

O gol foi marcado pelo atacante Allan no primeiro tempo. Com o triunfo, o Leão do Bonfim retomou o quarto lugar na tabela com 11 pontos.

Na próximo fim de semana, o Villa enfrentará o Atlético na Arena do Jacaré. Já o Uberaba, que caiu para o nono lugar com cinco pontos, vai a Governador Valadares encarar o Democrata.

De virada, Caldense supera o Tupi em Juiz de Fora: 2 a 1

O Tupi desperdiçou a chance de voltar ao G-4 do Campeonato Mineiro após perder de virada para a a Caldense por 2 a 1, em Juiz de Fora. O Galo Carijó da Zona da Mata saiu em vantagem no início do jogo com o atacante Yan, mas não conseguiu segurar o resultado por muito tempo. A Veterana não se abateu em campo e conseguiu igualar o marcador com o também atacante Fernando Gaúcho, ainda na etapa inicial.

Após o intervalo, o time de Poços de Caldas pressionou mais o adversário até conseguir o segundo gol com o lateral-esquerdo Luisinho. Com o resultado, a Caldense subiu para o oitavo lugar na tabela com sete pontos. Já o Tupi, com nove, caiu para a sexta posição.

Na sequência do Estadual, o alvinegro terá confronto direto contra o Guarani, em Divinópolis, e o alviverde receberá o Ipatinga, no estádio Ronaldão.

América-TO goleia o Funorte por 5 a 1

O América de Teófilo Otoni recebeu o Funorte no estádio Nassri Mattar na tarde deste sábado e goleou a equipe de Montes Claros por 5 a 1. O amplo placar foi construído com dois gols de Rogério Ávila, dois de Jonathas Obina e outro de Bruno Barros. O único tento do Funorte foi de Edmilson, aos 21 minutos do segundo tempo.

Com a vitória, o América-TO assumiu, a quinta colocação do Campeonato Mineiro. O Funorte segue na lanterna do Estadual com apenas 2 pontos conquistados.