sábado, 30 de abril de 2011

Cruzeiro massacra o América-TO e põe os pés na final do Campeonato Mineiro: 8 a 1

Time celeste poderá perder por até sete gols de diferença que mesmo assim estará na decisão do Estadual'2011


O Cruzeiro fez valer sua superioridade técnica neste sábado, no Vale do Mucuri, e atropelou o América de Teófilo Otoni por 8 a 1, no primeiro jogo das semifinais do Campeonato Mineiro. O merecido resultado só fez ampliar a vantagem que os celestes já tinham para chegar à decisão do Estadual’2011.

Com o massacre aplicado no Dragão, o time de Cuca poderá perder o jogo de volta, marcado para o próximo domingo, por até sete gols de diferença, que mesmo assim brigará pela taça contra América ou Atlético. O show de bola também foi importante para dar tranquilidade ao time no meio da semana, na caminhada pela Libertadores da América.

O jogo

De olho no compromisso válido pelas oitavas de final da Libertadores da América, contra o Once Caldas, na Colômbia, na próxima quarta-feira, o Cruzeiro pisou o gramado do estádio Nassri Mattar, em Teófilo Otoni, neste sábado, disposto a resolver logo sua classificação às finais do Campeonato Mineiro. Mesmo com a vantagem de jogar por dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo saldo de gols, o Cruzeiro logo partiu pra cima do Dragão. Nos primeiros instantes, Thiago Ribeiro e Pablo tabelaram, o lateral cruzou para a área, mas a defesa foi mais esperta e afastou o perigo.

Surpresa do Estadual’2011 e campeão do interior, o América-TO vinha de uma goleada para o Atlético, por 7 a 1, na última rodada da fase de classificação do torneio, e tentava se recuperar do resultado. Aos seis minutos, o Dragão incomodou Fábio pela primeira vez. Depois de uma bola alçada pela esquerda, o zagueiro Júnior Pereira cabeceou por cima do travessão. Aos 08, Jonatas Obina escapou bem pela direita, mas foi desarmado quando se preparava para invadir a área. O time do Vale do Mucuri insistia. Aos 12, Wellington Bruno cobrou uma falta na quina da grande área, pelo lado esquerdo, e exigiu reflexo de Fábio, que fez um grande defesa.

O Cruzeiro tinha dificuldades para fluir seu jogo e não conseguia uma ligação eficiente entre meio campo e ataque. Aos 16, a Raposa investiu e conseguiu uma falta pela direita. Montillo cobrou bem e descobriu Henrique dentro da área. O volante desviou com perigo, à esquerda de Fábio Noronha. Logo depois, Thiago Ribeiro desperdiçou outra grande chance, ao emendar um cruzamento de Wallyson debaixo das traves.

Mal no início da partida, o time de Cuca conseguiu a vantagem aos 21 minutos. Montillo voltou a desfilar seu talento com a camisa 10 azul e deu um passe açucarado para Henrique. O volante bateu forte, sem chances para o goleiro: Cruzeiro 1 a 0.

O primeiro gol do duelo acordou os celestes e recuou o América-TO, que passou a arriscar apenas nos contra-ataques, tentando aproveitar os erros do Cruzeiro. Os 11 de Cuca tentavam ampliar a conta e conseguiram aos 31 minutos, com um belíssimo gol. Wallyson desceu pela direita e acionou Thiago Ribeiro que, na risca da pequena área, rolou fácil para Gilberto. O meia tocou para as redes, com facilidade, concluindo uma linda jogada: 2 a 0 em Teófilo Otoni.

Aos 36 minutos, Gilmar Estevam resolveu mexer no seu time: sacou Kássio para a entrada de Leandrinho, que logo tentou diminuir a vantagem cruzeirense, com um chute de fora da área, aos 40, mas Fábio estava bem colocado e segurou fácil.

O massacre entra em campo


As duas equipes voltaram para a segunda etapa com as mesmas formações e em busca do gol. Antes da primeira volta do relógio, Montillo arrancou pela direita e bateu cruzado, à direita de Fábio Noronha. O América-TO respondeu antes dos dois minutos: Jonatas Obina emendou um chute de longe, a bola saiu mascada, quicando no gramado com veneno, mas Fábio segurou firme.

O jogo era lá e cá, mas o Cruzeiro achou o caminho do gol mais uma vez, aos nove minutos. Depois de uma cobrança de falta ensaiada, Roger cruzou para a área, na medida para o zagueiro Leo, que desviou para o gol: 3 a 0 no estádio Nassri Mattar.

Sem conseguir assimilar os golpes que sofria, o Dragão virou presa fácil em seu próprio território. Aos 16 minutos, os dois protagonistas do terceiro gol também marcaram o quarto: Roger cobrou um escanteio pela direita e Leo cabeceou por cima da zaga: 4 a 0.

Completamente atordoado em campo, o América-TO ficou com 10 homens no gramado, depois que Luiz Henrique foi expulso, ao reclamar de um lance com o árbitro Francisco Carlos Nascimento.

O Cruzeiro aproveitou o que já estava fácil e ampliou ainda mais a sua vantagem. Aos 18 minutos, Gilberto tocou para Montillo, que dominou e tocou na saída de Fábio Noronha: 5 a 0.

Num lampejo, os donos da casa conseguiram deixar um gol de honra nas redes de Fábio: Wellington Bruno venceu Henrique e bateu forte para deixar 5 a 1 no placar, que ainda sofreria mais três alterações.

Com apetite, o Cruzeiro seguia seu ritmo em busca de mais tentos. Aos 30, Montillo fez o sexto gol, cobrando pênalti e três minutos depois, o argentino deixou uma pintura em Teófilo Otoni. O camisa 10 ficou com uma bola dentro da área e tocou por cima de Fábio Noronha, para marcar pela terceira vez no duelo: 7 a 1.

Antes do apito final, Wallyson fechou a conta, ao cobrar com categoria um pênalti sofrido por ele mesmo: 8 a 1, no show de bola estrelado no interior de Minas.

América-TO 1 x 8 Cruzeiro

América-TO
Fábio Noronha; Osvaldir, Luís Henrique, Junior Pereira e Bruno Barros; Luizinho, Araújo, Wellington Bruno e Kássio (Leandrinho); Jonatas Obina e Rogério Ávila.
Técnico: Gilmar Estevam

Cruzeiro
Fábio; Pablo (Leandro Guerreiro), Leo, Gil e Gilberto; Marquinhos Paraná, Henrique, Roger (Everton) e Montillo; Thiago Ribeiro (Farías) e Wallyson.
Técnico: Cuca

Motivo: semifinal do Campeonato Mineiro, jogo de ida
Estádio: Nassri Mattar, em Teófilo Otoni-MG
Data: 23 de abril de 2011

Gols:
Cruzeiro - Henrique, aos 21 minutos, e Gilberto, aos 31 minutos do primeiro tempo; Leo, aos 09 e 16 minutos, Montillo aos 18, 30 e 33 minutos e Wallyson, aos 40 minutos do segundo tempo;
América-TO - Wellington Bruno, aos 21 minutos do segundo tempo

Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Paulo César da Silva Faria (MT)

Cartões amarelos: Leandrinho, Luizinho, Araújo e Jonatas Obina pelo América-TO; Montillo, Fábio e Gil pelo Cruzeiro
Cartão vermelho: Luiz Henrique

Público pagante: 3.389
Renda: R$ 91.910,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário